quarta-feira, 15 de julho de 2009

Alergia

Aspectos alergênicos dos produtos suínos

É consenso que produtos suínos sejam agressivos, tanto que são evitados formalmente em situações delicadas tal como puerpério, infância, pós-operatórios, quadros infecciosos etc.

O grupo humano de maior longevidade amplamente reconhecida estão relacionados a cultura helênica onde os suínos estão fora dos parâmetros alimentares. Possivelmente este fator é muito mais importante para induzir longevidade do que o atribuído ao consumo alimentar de óleo.

Os subprodutos encontran-se tradicionalmente disseminados em nossa cultura alimentar, de forma subliminar. Possuem significado especial quando vistos sob o prisma antigênico, sendo extremamente alergênicos (estimulam a formação de anticorpos). Atualmente o desenvolvimento dos produtos químicos de uso doméstico tendem a incorporar suínos na forma de glicerol.

A seguir citamos alguns produtos contaminados com suínos, com o intuito de auxiliar aqueles que querem livrar-se desta agressão camuflada:

- Embutidos. Praticamente todos tem alguma proporção de suínos, muitas vezes misturados com eqüinos. Até na lingüiça de frango a "tripa" é de porco. Para ratificar eis os mais freqüentes: salsicha, lingüiça, mortadela, presunto, salame, chouriço.

- Pão comum (francês, bengala, etc.). 50% das dezenas de padarias que investigamos pessoalmente utilizam banha de porco na composição dos seus produtos, especialmente os crocantes como a massa folhada e os doces confeitados (glacê pode conter banha).

- Salgadinhos sabor bacon ou presunto. Aqui vai uma forma de contaminação curiosa, pois o artifício de aromatizar as prateleiras de salgadinhos nos supermercados com Spray de "bacon" pode desencadear reações nos transeuntes mais sensíveis.

- Massas recheadas tipo lasanha, ravioli. Geralmente contém subprodutos suínos.

- Sanduíches. Geralmente contém lascas de bacon ou são preparados na mesma chapa onde foram fritos produtos suínos.

- Churrascos. Geralmente são mesclados com carne suína ou recebem o gotejamento de produtos suínos localizados em andares superiores dentro da churrasqueira. Lembrar que as carnes distribuídas nos açougues estão em geral contaminadas com suínos ao serem manuseadas com as mesmas lâminas e nos mesmos cepos.

- Pratos compostos, tipo farofa, risoto, maionese, saladas, bife rolê, feijão. Muitas vezes contém presunto ou bacon picado. Bom lembrar que em verduras cozidas e sopas é usual "tempero" com bacon.

- Banha como substituto do óleo. Muito utilizada em restaurantes comerciais e industriais assim como em alguns ambientes domésticos.

- Chocolates. Quando trazem "gordura animal" entre os ingredientes estampados no rótulo.

- Gelatinas. São preparadas com raspas de couro animal, em alguns casos usando suínos, como por exemplo os produtos "Otker". As cápsulas de medicações e complementos nutricionais são compostas com proteínas animais.

- Queijos. Aproximadamente 20% dos queijos são preparados com "coalho" suíno, e outro tanto com coalho transgênico. Coalho ácido, assim como leite proveniente de animais que não utilizam rações seriam os insumos adequados para a fabricação de queijo saudável. Este padrão de qualidade é mantido há anos nas marcas "Tradição" e " Porto Belo", provenientes de Rondônia e disponíveis em grandes redes como o "Pão de Açúcar". Na Região de campinas, o "Dalbem" oferece continuamente estes produtos.

- Fatiados. Lembrar que as lâminas nos estabelecimentos comerciais geralmente estão contaminadas com produtos suínos.

- Sorvetes de massa. A maioria das empresas produzem a massa do sorvete com mais de 50% de gordura. Parte desta gordura pode ser suína. A investigação por anos a fio tem mostrado que a composição varia com o passar do tempo, com a oferta dos insumos, assim como os métodos de fabricação. Agumas marcas chegam a assegurar por um determinado período que não utilizam gordura suína.

- Sabonetes, sabão em pedra e pasta dental também sugerem contaminação com lípides suínos. Sabões que utilizam somente gordura vegetal são mais seguros.

- Glicerina, compondo alimentos, bebidas, cosméticos, medicamentos, produtos de limpeza, têxteis.

- Gordura Vegetal Hidrogenada, ainda não conseguimos esclarecer se fazem mistura com produtos animais durante os processos de fabricação, no entanto vale a pena lembrar que grande parte da gordura vegetal hidrogenada é composta de óleo de soja, sendo atualmente transgênica.